O que é voucher e como aceitá-lo na sua maquininha? Descubra!

Significado

Entenda o que significa voucher, quais os tipos de vouchers que existem no Brasil, as principais bandeiras que oferecem esse serviço, as taxas e custos da operação, como aceitar um cartão de benefícios e as vantagens e desvantagens dele.

Escrito por: Victor Leitão - atualizado em: 21/05/2024

O voucher, ou cartão de benefícios, é uma forma de pagamento popular entre os consumidores, e pode ser interessante trabalhar com esse recurso no seu negócio.

Oferecida, em sua maioria, pelas empresas e contratantes, trata-se de um incentivo financeiro para recompensar o trabalhador e estimular a economia.

Dessa forma, é interessante que os estabelecimentos também estejam habilitados a trabalhar com essa opção, podendo aumentar seu faturamento e atender ao público de maneira mais eficiente.

No entanto, alguns empreendedores podem não conhecer essa modalidade, ou não entender como ela funciona, deixando de adotá-la em seu negócio.

Pensando nisso, preparamos um guia especial sobre voucher, com as principais informações que você precisa saber sobre esse cartão de benefícios e como adaptar o seu empreendimento para aceitar esse pagamento. 

O que é um voucher ou cartão de benefícios?

O voucher é uma espécie de título que garante o direito de pagamento para determinado produto ou serviço. Usualmente, também é conhecido como vale.

Embora muitas pessoas possam associar o conceito a vale-presentes ou vale-trocas em lojas, ele também pode ser disponibilizado na forma de cartão-benefício, por exemplo.

Dessa forma, o vale-transporte, vale-refeição ou vale-cultura que algumas empresas pagam aos funcionários se enquadram nessa categoria de saldo.

Enquanto isso, estabelecimentos que oferecem brindes ou promoções para o cliente também podem utilizar os vouchers, que são voltados para um uso mais específico.

Assim, é possível garantir que o consumidor irá utilizar seu saldo para determinados produtos ou serviços.

Quais tipos de vouchers existem no Brasil e quais são as principais bandeiras?

A princípio, existem alguns tipos de vouchers disponíveis no mercado brasileiro, com funções distintas. Nesse caso, para entender qual modalidade habilitar no seu estabelecimento, vale a pena conhecer as características de cada serviço, e entender como ele funciona.

Por isso, veja as principais categorias abaixo:

Voucher presente ou promoção

O voucher usado como vale-presente ou promoção garante que o consumidor tenha um saldo disponível para usar em produtos ou serviços dentro do estabelecimento. 

Em um primeiro momento, muitas pessoas associam o conceito a esse uso, por ser popular no comércio.

Com ele, existe a possibilidade de oferecer esse benefício como um vale-presente, ou mesmo realizar campanhas que sorteiam o vale para os clientes.

A finalidade desse tipo de voucher é garantir que o consumidor irá gastar o valor proposto dentro da loja, sendo, também, uma alternativa para trocas ou reembolsos.

Vale-alimentação

Outra forma de saldo que pode ser entendida como um voucher, ou cartão-benefício, é o vale-alimentação.

Trata-se de uma remuneração adicional oferecida pelas empresas para seus funcionários, com o objetivo de disponibilizar um valor fixo voltado para a compra de gêneros alimentícios, de forma geral.

Além disso, é comum que esse vale seja utilizado em estabelecimentos específicos desse segmento, como:

  • supermercados;
  • mercearias;
  • feiras.

Ainda, como o nome indica, esse voucher deve ser usado para alimentação. Por conta disso, muitos estabelecimentos não permitem a compra de bebidas alcoólicas, por exemplo, ou itens que não configurem alimento, mesmo que sejam vendidos dentro do comércio.

Vale-refeição

Da mesma forma, o vale-refeição é um voucher, ou cartão de benefícios. Sua diferença para a modalidade de alimentação é o foco da compra, que conta com um limite mais amplo.

Por exemplo, existe a possibilidade de comprar refeições prontas, permitindo o uso do vale em restaurantes e lanchonetes. Além disso, outros estabelecimentos do ramo podem permitir a compra, não apenas supermercados, como é o caso de padarias ou redes de fast-food.

Esse voucher também é disponibilizado pelas empresas para os funcionários, e geralmente pode substituir o vale-alimentação, ou ser pago em conjunto.

Bandeiras para voucher de alimentação e refeição

Para empreendedores que consideram adotar o vale-refeição ou vale-alimentação em seu estabelecimento, é necessário conhecer, também, as principais bandeiras que administram esse serviço.

Assim como cartões de crédito e débito convencionais, é necessário contar com uma operadora que realize o contato entre o emissor e o adquirente.

Porém, por não se tratar de um serviço tradicional, existem bandeiras específicas que monitoram esse pagamento. Atualmente, as principais são:

Pode-se dizer que esses são os nomes com maior aceitação, presentes em mais de 500 mil estabelecimentos em todo o Brasil.

No entanto, elas também exigem alguns requisitos para autorizar o pagamento por voucher de alimentação, como o cadastro do CNPJ em uma Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) voltada para o ramo alimentício.

Para garantir que somente estabelecimentos certificados aceitem os cartões-benefício, essas bandeiras exigem um registro prévio da empresa em seu site, para, em seguida, habilitar a conexão com uma maquininha de cartão.

Dessa forma, para conhecer o voucher de alimentação e como ele funciona, é importante que o empreendedor também se atente para as bandeiras que irá ativar no seu aparelho.

Vale-cultura

Outro cartão-benefício que se enquadra no conceito de voucher é o vale-cultura. Esse valor, também pago pelos empregadores, costuma ser um adicional menos comum.

Com ele, o titular pode usar o benefício em serviços e produtos voltados para cultura, tais como:

  • cinemas;
  • teatros;
  • eventos culturais;
  • compra de livros e materiais escolares.

Seu objetivo é incentivar os programas brasileiros, além de ser um benefício que auxilia no lazer e entretenimento do funcionário.

Entretanto, assim como o vale-refeição ou alimentação, seu foco é específico, podendo não ser aceito em todos os estabelecimentos.

Quais são as taxas e os custos de um cartão voucher?

As taxas e custos de operação com um voucher seguem as políticas comerciais das maquininhas que realizam a operação.

Embora o cartão-benefício não opere como um cartão de crédito convencional, a transação e leitura dos dados é feita de maneira semelhante ao processo tradicional.

Com isso, as operadoras também realizam o desconto de uma porcentagem de juros sobre o valor total.

Em um primeiro momento, cada empresa determina os valores de cobrança com base nas suas tabelas. Usualmente, são os adquirentes que estipulam os juros, e repassam para as bandeiras específicas.

No entanto, essas tarifas são menores do que as operações com crédito, e também possuem um recebimento mais rápido.

É recomendável que os vendedores confirmem o valor dos juros com a empresa que administra a sua maquininha, a fim de confirmar as tarifas específicas para voucher.

Confira nossa lista das melhores máquinas de cartão com menor taxa!

Como aceitar cartão voucher de benefícios na minha loja?

Por fim, depois de conhecer mais sobre o voucher e como ele pode ser utilizado, o empreendedor pode ativar essa forma de pagamento na sua loja a partir de algumas etapas.

Elas são necessárias para garantir que o estabelecimento atende a todas as exigências solicitadas pelo cartão-benefício.

Uma vez que ele tem objetivos de gastos específicos, não são todas as empresas que podem aceitar o voucher de alimentação ou de cultura.

Por isso, veja os passos que devem ser cumpridos a fim de garantir a ativação correta do pagamento na maquininha do seu negócio:

Tenha a documentação necessária

Antes de mais nada, é essencial ter toda a documentação necessária para comprovar que o seu negócio opera no ramo determinado para o uso do cartão-benefício.

Além de comprovar o segmento das atividades, também é fundamental confirmar que não existem pendências quanto ao empreendimento, e se ele está regularizado conforme as legislações de cada nicho.

Por exemplo, estabelecimentos do ramo alimentício devem ter todos os alvarás para trabalhar com comida.

Sem essas certificações, podem existir obstáculos na aprovação do uso do voucher pelas bandeiras e pela adquirente.

Outros documentos que devem ser apresentados incluem:

  • Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) ativo, pois pessoas físicas não conseguem aceitar voucher nas vendas;
  • Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) conforme o tipo do cartão-benefício.

Vale destacar que é importante que as documentações sejam recentes e estejam em nome do mesmo titular.

Saiba quais são as melhores maquininhas de cartão para MEI!

Maquininha habilitada

Em seguida, para começar a aceitar voucher no seu estabelecimento, será preciso investir em uma maquininha de cartão adequada.

Os aparelhos convencionais, que realizam transações de crédito e débito, permitem que os clientes utilizem seus benefícios no mesmo equipamento.

Contudo, para isso, é preciso que a empresa administradora também trabalhe com esse serviço. E mesmo operadoras que contam com essa tecnologia podem não disponibilizá-la em todos os seus modelos do catálogo.

Por esse motivo, se atentar para essa característica na maquininha é fundamental para começar a aceitar vouchers como pagamento.

Aproveite para conferir a lista das melhores máquinas de cartão para quem está começando!

Ative o voucher no seu aparelho

Para concluir o procedimento, o empreendedor deverá contatar cada bandeira que deseja ativar na sua maquininha de forma individual.

Ao contrário das bandeiras de cartão convencionais, elas não acompanham a ativação automática no momento da compra do aparelho.

Como forma de segurança e certificação, cada operadora exige um cadastro exclusivo. Assim, se o vendedor desejar trabalhar com seis bandeiras de voucher, deverá realizar seis registros diferentes.

O passo a passo para essa ativação pode ser consultado na página de orientações de cada maquininha, pois podem existir etapas distintas entre as marcas.

No entanto, de maneira geral, o credenciamento é simples, e solicita apenas o CNPJ, CNAE e conta de recebimento do titular para encaminhar o saldo das vendas.

Depois de finalizar a ativação com cada bandeira, a maquininha já poderá trabalhar com voucher, e o processo de compra é semelhante aos demais cartões.

Por que aceitar voucher na minha empresa? Veja as vantagens e desvantagens!

Trabalhar com voucher, ou cartão-benefício, dentro do estabelecimento permitirá que o vendedor ofereça mais alternativas para o cliente, aumentando suas chances de vendas e, com isso, seu faturamento.

Investir em um catálogo de pagamentos mais diversificado é essencial para beneficiar o consumidor e garantir que ele realizará a compra.

Isso é especialmente importante em lojas e comércios de ramos específicos, como alimentação ou produtos culturais.

Nesse caso, aceitar o voucher permitirá que os clientes considerem adquirir seus produtos e serviços mesmo sem ter saldo ou crédito, pois o benefício é aceito como pagamento.

Além disso, de forma prática, o vendedor também conta com vantagens como praticidade e agilidade nas transações. Uma vez que a leitura dos dados ocorre de forma convencional, não é preciso adquirir novos aparelhos para trabalhar apenas com voucher.

Possíveis desvantagens

Por outro lado, existem alguns pontos de atenção que se destacam, e vale a pena avaliar antes de tomar uma decisão final.

Isso, porque a ativação do voucher é um procedimento burocrático, que demanda habilitação na maquininha com cada bandeira, de forma individual.

Ainda, não se trata de um procedimento sem tarifas, e, apesar das taxas reduzidas, também existe o desconto no valor final.

Por fim, nem todos os empreendimentos estão autorizados a operar com voucher ou cartão-benefício, por conta do ramo de atuação.

Caso não tenha um CNPJ ativo e oficialmente registrado com as atividades específicas do segmento, o pedido de habilitação com a maquininha será negado.

Assim, é importante que o vendedor considere essa alternativa em detalhes, e apenas se a sua loja for do ramo indicado, para não enfrentar obstáculos e negativas no seu pedido.

Dessa forma, poderá ativar o pagamento com voucher no seu empreendimento, e aumentar suas chances de vendas oferecendo mais opções para os clientes.

O que achou do conteúdo? Deixe seu comentário ou questionamentos sobre o assunto, adoramos ouvir sua opinião e ajudar a solucionar suas dúvidas!

Antes de ir embora, que tal conferir alguns dos nossos outros artigos? Confira alguns textos que já publicamos aqui no iMaquininhas:

Perguntas frequentes (FAQ)

  1. Vaucher ou voucher?

    Embora algumas pessoas ainda possam ter essa dúvida, a forma correta de se escrever a palavra é “Voucher”.

Conteúdos Relacionados