Parcelado emissor: o que é, como funciona e como calcular?

Negócios

Entenda o que significa parcelado emissor, quais os benefícios de adotar esse modelo de pagamento na sua loja e qual a diferença para o parcelado lojista!

Escrito por: Vitor Braga - atualizado em: 15/05/2024
  • SumUp Solo

    SumUp Solo Solicitar

    Tarifas a partir de:

    1,35% Débito

    3,00% Crédito

    4,40% Parcelado

  • PagSeguro Minizinha Chip 3

    PagSeguro Minizinha Chip 3 Solicitar

    Tarifas a partir de:

    1,99% Débito

    3,19% Crédito

    3,79% Parcelado

  • SafraPay Pro

    SafraPay Pro Solicitar

    Tarifas a partir de:

    1,69% Débito

    4,18% Crédito

    4,30% Parcelado

O parcelado emissor é uma modalidade diferenciada que pode beneficiar o lojista, além de trazer maiores possibilidades de lucro a cada venda.

Disponibilizar formas de pagamento no crédito se tornou uma das práticas mais comuns entre os estabelecimentos comerciais, especialmente pela facilidade oferecida aos clientes. Como consequência, há mais chances de que os consumidores fechem a compra.

No entanto, essas alternativas acompanham taxas de juros que podem ser consideráveis para os lojistas, tornando-se, muitas vezes, impraticável em determinadas situações.

Assim, como forma de aumentar as oportunidades de vendas e permitir que os clientes tenham a flexibilidade de dividir suas contas, as operadoras desenvolveram uma terceira opção para pagamento em mais parcelas.

Conheça o parcelado emissor, como ele funciona e quais os benefícios que essa alternativa traz para os lojistas, além das diferenças mais significativas entre esse formato e a possibilidade tradicional.

Parcelado emissor: o que significa?

Parcelado Emissor
Os juros de parcelamento são pagos pela administradora do cartão e repassados aos consumidores
Os lojistas pagam apenas a taxa de crédito à vista da maquininha
Tempo de recebimento à vista
Parcelamento com juros para os clientes
Parcelado emissor – principais características

Antes de entender o que é e o que significa o parcelado emissor, é necessário compreender um pouco do funcionamento do cartão de crédito. O cartão de crédito é um produto oferecido pelos bancos e instituições financeiras para que os clientes possam comprar sem ter, necessariamente, o saldo em dinheiro naquele momento.

Todas as compras compõem as faturas mensais, pagas em uma única vez pelo consumidor, de acordo com as suas preferências.

Entretanto, para que seja possível usar o cartão de crédito como forma de pagamento, é preciso que o estabelecimento possua uma maquininha de cartão. Esse equipamento, por sua vez, é de responsabilidade do vendedor, que escolhe a opção que melhor lhe atende.

Em adição, é possível também parcelar as compras feitas no cartão e, nessa caso, o comprador poderá dividir o valor em mais de uma fatura, com mensalidades fixas ou variáveis, conforme a política de juros de cada estabelecimento.

Esses juros existem porque a operação na maquineta do vendedor também cobra tarifas para cada parcela. Isso significa que o empreendedor não recebe o valor integral do pagamento, como aconteceria com vendas à vista ou em dinheiro físico.

Por isso, pode existir a cobrança de juros de ambas as partes, na fatura do cliente e no recebimento do vendedor. Contudo, como forma de minimizar o impacto dessa opção para quem está vendendo, as operadoras passaram a oferecer outra alternativa, o parcelado emissor.

Confira também: Qual a máquina de cartão com menor taxa? Veja as melhores opções em 2024!

O que é o parcelado emissor?

O parcelado emissor é uma forma de pagamento onde o vendedor recebe à vista, sem arcar com as taxas de juros das mensalidades, pagas pela administradora do cartão e pelo titular.

Em outras palavras, o cliente do cartão de crédito escolhe a opção de dividir o valor total em várias faturas, mas com acréscimo dos juros que podem ser cobrados pela máquina de cartão do estabelecimento.

Na alternativa convencional, e mais utilizada no comércio, os lojistas oferecem parcelamento sem juros para o cliente. Isso significa que todas as parcelas da compra tem valor fixo e imutável, sem adição.

Além disso, o vendedor também recebe o saldo de cada parcela somente no mês correspondente, ou opta por antecipar o valor da venda e paga mais juros.

Porém, no parcelado emissor, os custos dos juros são pagos pelo banco, e repassados ao cliente na forma de acréscimos em cada mensalidade da fatura. Enquanto isso, o vendedor recebe com taxa menor, de venda à vista, e tudo em um único recebimento.

Essa opção passou a estar disponível junto do menu de compras no cartão de crédito, selecionada pelo vendedor no momento de finalizar a venda. Ou seja, é uma função legal e aceita pelas operadoras de cartão, que consta, inclusive, nas orientações do Banco Central.

Além do portador do cartão arcar com os juros, as tarifas podem variar de acordo com cada instituição financeira. No caso do vendedor, as próprias maquininhas informam as tarifas fixas, que não são as mesmas para o cliente.

Como funciona o parcelado emissor?

Na hora de realizar o pagamento, o cliente informa sua preferência em dividir o valor da compra total, e o vendedor segue as instruções para realizar o procedimento no seu equipamento.

Entretanto, a escolha da forma de pagamento não é parcelado convencional, e sim parcelado emissor, opção que consta no menu das principais máquinas de cartão de crédito do mercado.

Com isso, o cliente autoriza a compra e pode constatar em seu extrato o valor das futuras parcelas, conforme o número de vezes que selecionou.

A operação é simples, e funciona de modo semelhante à outra compra, mas as configurações de recebimento do vendedor constam saldo à vista. Ou seja, ele irá receber o total integral no próximo ciclo, mesmo que ele tenha sido dividido.

Enquanto isso, o consumidor terá acréscimo de juros nas parcelas da sua compra, cobradas a partir dos juros determinados pelo banco.

Isso, porque é a instituição financeira que arca com o saldo total repassado ao vendedor, e precisa receber a margem sobre esse empréstimo provisório.

Acesse: Maquininha que cai o dinheiro na hora: confira as opções disponíveis no mercado e outras máquinas de cartão para receber rápido!

Como calcular juros do parcelado emissor?

Como dito anteriormente, no parcelado emissor os juros de parcelamento são pagos pela administradora de cartões e repassados aos clientes. Mas, ainda assim, o lojista precisa pagar uma taxa para a empresa de maquinetas, porém ela é menor e, normalmente, ela possui o mesmo valor do pagamento à vista.

Então, seria preciso conhecer as taxas e as políticas da empresa de maquininhas para calcular os juros do parcelado emissor que o dono de um estabelecimento comercial pagaria.

Por exemplo, o parcelado emissor da Getnet funcionaria da seguinte forma:

  • A taxa de juros da empresa para pagamentos à vista com recebimento em 30 dias úteis é de 2,99%;
  • A taxa de juros da empresa para pagamentos parcelados com recebimento conforme as parcelas é a partir de 6,40%.

Desse modo, o empresário que optar pela modalidade parcelado lojista Getnet iria ter q pagar um taxa de juros a partir de 6,40% e ainda receberia conforme as parcelas. Já o empreendedor que optar pelo parcelado emissor Getnet pagaria apenas 2,99% e receberia à vista em 30 dias úteis.

Por fim, é importante dizer que as taxas para os consumidores dependem apenas do banco emissor do cartão e independem da empresa da maquininha de cartão e do lojista.

Veja mais sobre calcular taxas em nosso simulador de vendas no cartão!

O que é parcelado lojista ou parcelado estabelecimento?

O parcelado lojista, também chamado de parcelado estabelecimento, é a modalidade de venda com cartão de crédito onde o vendedor arca com os juros da compra dividida a partir da sua própria política comercial.

Na prática, o parcelado estabelecimento é o formato convencional da maioria dos negócios onde o comprador pode parcelar sua compra sem juros, enquanto o proprietário da maquininha tem as tarifas descontadas do seu saldo a receber.

Nesse caso, existe a flexibilidade de administrar o valor conforme sua preferência. Por exemplo, alguns vendedores aumentam o valor do produto parcelado, outros estabelecem um limite máximo de parcelas sem juros, por conta da máquina de cartão.

Seja como for, as faturas do cliente terão um valor fixo referente a essa compra, e o lojista arcará com os juros do parcelamento a cada mês.

Apesar da autonomia para definir o preço dos itens, vale lembrar que essa alternativa pode trazer mais cobranças no adiantamento do saldo integral, ou apenas liberar as parcelas a cada mês. Se uma compra for dividida em 12 vezes, por exemplo, serão 12 meses até encerrar o ciclo.

Parcelado lojista ou emissor: qual a diferença?

Parcelado EmissorParcelado Lojista ou Parcelado Estabelecimento
Os juros de parcelamento são pagos pela administradora do cartão e repassados aos consumidoresOs juros de parcelamento são pagos pelos vendedores sem repasse aos consumidores
Os lojistas pagam apenas a taxa de crédito à vista da maquininhaOs lojistas pagam juros cada vez mais altos de acordo com o número de parcelas
Tempo de recebimento à vistaTempo de recebimento de acordo com as parcelas
Parcelamento com juros para os clientesParcelamento sem juros para os clientes
Diferenças do parcelado emissor vs. parcelado lojista

As principais diferenças entre o parcelado emissor e parcelado lojista são os prazos de pagamento e recebimento do vendedor. 

Geralmente, o formato convencional, pago pelo proprietário da maquininha de cartão, limita as divisões em 12 vezes sem juros para o cliente, com cobranças progressivas conforme o número de meses.

Esse aumento das porcentagens pode chegar a valores surpreendentes, desincentivando a possibilidade para o pequeno empreendedor, por exemplo. Além de ter que esperar o saldo referente a cada mês, os descontos são consideráveis.

Enquanto isso, o parcelado emissor não possui um número fixo de parcelamento que pode ser feito, uma vez que é o comprador que arca com o adicional. Alguns lugares permitem, por exemplo, parcelas em até 24 vezes para compras normais.

Contudo, as limitações são estabelecidas pela instituição administradora do cartão, pois ela irá transferir o saldo integral para retirada, e, em seguida, repor o valor total conforme as faturas são quitadas.

Veja: Saiba qual a melhor máquina de cartão para quem está começando!

Forma de recebimento do vendedor

Ainda, outra diferença significativa é que o parcelado emissor permite o recebimento integral, sem desconto maior pelo adiantamento. Isso não acontece na modalidade lojista, pois é preciso quitar os juros correspondentes.

O ciclo de recebimento também varia, pois o dono da maquininha pode ter seu saldo liberado em 30 dias na categoria paga pelo cliente, enquanto o formato tradicional exige que ele aguarde todas as parcelas, caso não opte pelo adiantamento com cobrança.

Algumas operadoras de maquininhas trabalham com pacotes personalizados de saldo, para receber em 1 dia útil ou 14 dias, por exemplo. Nesse caso, segue a contratação normal que o vendedor possui, mesmo para parcelamentos longos.

Vale reforçar que ambos os tipos de parcelamentos apresentam juros, mas eles variam conforme a política de cada responsável, seja a operadora da maquininha de cartão ou o banco.

No momento da compra, não é possível conferir qual o total cobrado na fatura, e somente o cliente tem esse acesso junto ao banco.

De modo geral, para o cliente, a maior diferença é no parcelado emissor, pois existe o acréscimo nas mensalidades da sua fatura. 

Qual a maquininha com menor taxa para o parcelado lojista?

Caso o vendedor escolha o formato de parcelado lojista, é importante que ele escolha a maquininha de cartão com a menor taxa, pois, como dito anteriormente, os juros das maquinetas comprometem o faturamento do empreendedor.

E, como existem diversas opções de aparelhos feitos para atender diferentes perfis de negócio, separamos as principais máquinas de cartão com a melhores taxas do mercado, veja só:

1. SumUp

A SumUp é umas das empresas com a menor taxa do mercado e, além disso, nos primeiros 30 dias de uso da maquininha, novos clientes contam com uma promoção de tarifas abaixo de 1%. 

Durante esse período, as taxas das vendas no débito e no crédito à vista são de 0,9%, e a taxa de parcelamento em 12x é 9,90%. Essa promoção, contudo, acaba após os 30 primeiros dias, ou no momento em que o cliente acumular R$ 5 mil em vendas na maquininha

Após a promoção, as taxas que a maquininha SumUp oferece dependem da bandeira do cartão e do prazo que o cliente escolhe para resgatar o valor de suas vendas realizadas.

Sendo assim, as taxas convencionais das vendas realizadas com a SumUp são:

Método de PagamentoTaxa tradicional p/ Visa e MastercardTaxa tradicional p/ outras bandeiras
Débito1,35%2,55%
Crédito à vista (recebimento em 1 dia útil)3,10%4,30%
Crédito à vista (recebimento em 30 dias úteis)3,0%4,20%
Crédito parcelado (recebimento em 1 dia útil)4,60% a 12,90%6,00% a 14,30%
Crédito parcelado (recebimento em 30 dias úteis)4,30%5,80%
Taxas SumUp

2. PagSeguro

As maquininhas PagSeguro possuem diferentes pacotes de taxa que atendem diferentes perfis de empreendedores. E, dessa forma, a empresa consegue se destacar e oferecer uma das menores taxas do mercado.

Além disso, o PagSeguro também oferece taxas promocionais e condições especiais para os seus clientes. Porém, fique atento, pois algumas promoções exigem que o lojista fature uma quantia mínima mensal.

Confira os principais valores de taxa da máquina de cartão PagSeguro:

Tipos de pagamentoBásicoVistaMultiMax
Débitoa partir de 1,99%a partir de 1,69%a partir de 1,79%a partir de 0,85%
Crédito à vistaa partir de 4,99%a partir de 3,49%a partir de 3,69% a partir de 0,85%
Parceladoa partir de 9,91% a partir de 7,99%a partir de 5,99%a partir de 9,89%
Taxas PagSeguro

3. SafraPay

A SafraPay é mais uma empresa que oferece boas taxas para os lojistas, porém fique atento as diferentes tarifas cobradas para pessoas físicas e pessoas jurídicas.

Como neste conteúdo estamos falando de lojistas, separamos as taxas para pessoas jurídicas. Confira a seguir os juros e suas variações de acordo com a bandeira e o tempo de recebimento:

Tipo de Taxa – Pessoa JurídicaMastercard e Visa (sem antecipação)Elo, Amex e Hipercard (sem antecipação)Mastercard e Visa (recebimento na hora)Elo, Amex e Hipercard (recebimento na hora)
Débito1,48%2,09%1,99%2,99%
Crédito à vista3,14%5,15%4,83%5,63%
Crédito parceladoa partir de 4,00%a partir de 6,25%a partir de 8,01%a partir de 8,51%
Taxas SafraPay

Parcelado emissor: conclusão

O parcelado emissor é uma solução interessante para os vendedores, pois possibilita oferecer alternativas variadas para o cliente, mas sem ter que arcar com os juros.

Muitos estabelecimentos limitam a quantidade de parcelas disponíveis justamente pelas tarifas descontadas do seu saldo. Porém, com a opção de venda com juros à vista e recebimento integral, os vendedores podem disponibilizar ainda mais parcelas para os interessados. Algumas lojas, chegam a dividir o produto em até 24 vezes, com cobrança para o cliente.

Dessa forma, é possível concluir que se trata de uma alternativa interessante para quem vende, e é importante ter conhecimento sobre essa possibilidade na sua maquininha.

No entanto, os consumidores devem ficar atentos para a opção, e a política comercial deve ser explícita quanto aos juros do emissor. Isso, porque o cliente também deve ter a liberdade de escolher a melhor forma para pagar e não arcar com juros, caso não deseje.

De modo geral, o parcelado emissor é uma opção inovadora, que beneficia os empreendimentos, incentivando a adesão de mais maquininhas e aumentando a movimentação comercial, já que os clientes poderão dividir o valor em mais vezes que o convencional.

Agora, antes de ir embora, que tal conferir alguns dos nossos outros conteúdos relacionados a maquininhas de cartão? Veja a lista que selecionamos!

Perguntas Frequentes (FAQ)

  1. O que é parcelamento do emissor?

    O parcelamento do emissor é uma alternativa onde o cliente arca com os juros da venda parcelada, enquanto o vendedor pode receber o total integral em apenas 30 dias, pagando as tarifas de venda à vista.

  2. Qual a diferença entre parcelado lojista e parcelado emissor?

    O parcelado emissor permite que o vendedor pague somente os juros da maquininha de cartão à vista, e receba o valor integral, pois o consumidor paga os acréscimos de cada parcela. Enquanto isso, o parcelado lojista é a forma tradicional, onde o lojista arca com as tarifas.

  3. Como calcular juros do parcelado emissor?

    Os juros do parcelado emissor são disponibilizados para o cliente por meio da administradora do cartão, e varia conforme a sua política. Nesse caso, o vendedor não tem acesso a essa informação para calcular para o comprador. Ele pode conferir na fatura posteriormente.

  4. O que é parcelamento do lojista?

    O parcelamento do lojista é a alternativa mais comum no comércio atualmente, onde o cliente compra parcelado sem juros, e o vendedor arca com as tarifas de cada mensalidade. Além disso, só recebe o saldo referente à cada parcela, se não optar pelo adiantamento com desconto.

  5. O que são lojista e emissor?

    Lojista é o proprietário do estabelecimento comercial, enquanto emissor é o banco responsável por administrar os cartões que os compradores usam para pagar os lojistas.

  6. Qual o melhor: parcelado emissor ou lojista?

    Depende dos objetivos do empresário, pois o parcelado emissor isenta o vendedor das taxas de parcelamento, mas as transfere para os clientes, o que pode afastá-los. Já o parcelado lojista faz com que o empreendedor pague taxas mais altas, porém permite que ele ofereça parcelamento sem juros aos seus clientes, podendo atrair mais vendas.

Conteúdos Relacionados